Mindfulness e Positividade Corporal

Vivemos em uma sociedade que às vezes nos ensina coisas muito duras. Uma das coisas que aprendemos é: “Magreza é beleza”. Nossa sociedade nos diz que devemos todas parecer bonecas Barbie. E o problema é que a maioria de nós não parece. Na verdade, é fisicamente impossível ter o corpo da Barbie. É por isso que os padrões de beleza precisam mudar em nossa sociedade. Mas a mudança começa com cada indivíduo. Se queremos que os padrões de beleza da sociedade mudem, precisamos primeiro mudar nossa própria visão e aceitar uma verdade inegável: Nós já somos lindas. Somos lindas porque somos únicas. Somos lindas porque nunca mais haverá alguém como nós, nem fisicamente e nem de qualquer outra forma. Precisamos nos aceitar e nos amar exatamente como somos. E há dois termos que podem nos ajudar nessa jornada: “Positividade Corporal” e “Mindfulness”.

O que é positividade corporal?

O termo Positividade Corporal está em toda parte ultimamente. Artigos de jornal, posts no Instagram, tweets, filmes de Hollywood, talk shows… mas o que é exatamente a positividade corporal? Primeiro, é aceitar seu corpo como ele é, com todas as suas imperfeições, e sentir uma alegria genuína por ele. Você só tem um corpo. Você nunca terá outro. Sim, pode não ser um corpo “perfeito”. E sim, tem dias em que você não se sente necessariamente bem. Mas isso não muda o fato de que seu corpo é lindo e milagroso, não importa sua forma ou tamanho. Beleza é algo subjetivo e transitório. Ao longo dos anos, a definição do que é beleza mudou drasticamente e continua a mudar. O que importa é aquilo em que acreditamos, e aceitar nosso corpo é o caminho para a positividade corporal.

Segundo, positividade corporal significa aceitar que pessoas de todos os tamanhos são belas, e desaprender a ideia de que apenas alguns corpos são dignos de elogios e aceitação. É reconhecer que não é apenas um tipo específico de corpo que é bonito, e aplicar isso não só conosco, mas com todos ao nosso redor.

Positividade Corporal e Amor-Próprio

Positividade corporal é uma visão de vida alinhada com a psicologia positiva. Os conceitos de aceitação e amor-próprio estão no âmago dessa ideia. Por isso, pode ser um conceito difícil de entender para quem tem dificuldade com auto-aceitação e autocompaixão.

Se quisermos ser positivos em relação ao nosso corpo, temos que primeiro aprender a nos amar e nos aceitar como somos. Bem, isso é mais fácil falar do que fazer, não é? Afinal, se dizer “eu sou bonita” ou “eu me amo e me aceito” fosse suficiente, não teríamos nenhum problema – pessoal, social ou qualquer outro – no que diz respeito à beleza. A questão é que aceitação e autocompaixão não são características que podemos simplesmente decidir ter. Na verdade, são maneiras de olhar o mundo e nós mesmos que podemos desenvolver através de meditações de auto-compaixão e aceitação.

Vamos começar com a auto-compaixão. Dissemos que a positividade corporal tem a ver com amar o próprio corpo, com todas as suas imperfeições. Respire fundo e concentre-se no seu corpo. Tente sentir a firmeza do chão sob seus pés. Você tem dois pés e pernas maravilhosos. Você é capaz de andar onde quiser, quando quiser. E daí se eles são muito grossos ou muito finos? Essas pernas estão dispostas a levá-la onde você quiser ir. Elas te dão o milagre da mobilidade. Elas te dão a capacidade de conquistar o mundo.

A seguir, concentre-se nas suas mãos. Você pode fazer o que quiser com essas mãos. Você pode escrever, pintar, bater palmas, tambor. Você pode sentir todo tipo de textura e sensações maravilhosas com essas mãos e dedos. Mantenha o foco em seu corpo e nos sentidos do seu corpo: Pelo que você é grata em seu corpo? Pelo que você se sente agradecida? O que você ama no seu corpo? Tente nomear pelo menos uma coisa. Reflita sobre isso e depois escreva. Explorar seu corpo assim é uma maneira de redescobrir sua beleza, singularidade e, em certo sentido, a alegria de estar viva, pois seu corpo é totalmente seu, desde que você nasceu. Ele permite que você faça tudo e qualquer coisa que você quiser. Nunca haverá mais alguém que se pareça com você. Então, por que não sentir e expressar alegria e gratidão por ter esse corpo? Por que não sentir a alegria de estar viva? E por que se importar com o que alguém pensa sobre você ou seu corpo? Você é linda do jeito que você é. Você estará com o seu corpo até o final da sua vida e é apenas a sua opinião que importa.

Aceitação: O Clube da Positividade Corporal

Uma coisa muito importante a lembrar é que a positividade corporal não é um clube exclusivo, aberto apenas a alguns tipos de corpo. Ela reconhece a beleza de todos os corpos: magro, gordo, alto, baixo … não importa. Uma boa maneira de consolidar essa crença é pensando mais sobre a aceitação. Não apenas auto-aceitação – embora isso certamente seja necessário – mas aceitação dos outros também. Desaprender conceitos de beleza com os quais fomos inundados desde a infância leva tempo e esforço consciente. Isso nos obriga a reavaliar todas as mensagens que recebemos sobre beleza, corpo e comida durante nossas vidas.

Vamos pensar nisso por um momento: que tipo de coisas lhe ensinaram sobre beleza? O que você aprendeu sobre a relação das pessoas com a comida, com seus corpos, com elas mesmas? E quanto ao seu relacionamento com seu corpo? Quão conectado ou desconectado você se sente? Quando você olha no espelho, você é capaz de aceitar a linda pessoa que você é? Ou são suas imperfeições que você vê primeiro? E quando você olha para outras pessoas? É a beleza delas que você vê primeiro? Ou a sua primeira reação é querer rejeitar essa beleza? Você pensa: “Nossa, ela seria tão bonita se…”?

Você pode se sentir um pouco desconfortável ao responder a essas perguntas. Mas mudar, e especialmente quando é uma mudança interna, geralmente não é confortável. Então, se esforce um pouco mais. Por que você acha que essas são as primeiras reações que você tem quando olha no espelho ou para outras pessoas? O que você assimilou sobre a beleza que faz com que tenha essas reações? Perceber esses padrões de pensamento é o primeiro passo para quebrá-los e modificá-los. Ao estar mais consciente deles, através de práticas de mindfulness e meditações de aceitação, você pode ativamente começar a modificá-los. Com o tempo, você pode desaprender as mensagens que internalizou e começar a mudar sua visão, tanto de si mesmo quanto do mundo ao seu redor. Lentamente, você começará a notar a beleza que a rodeia e que está dentro de você.

O que não é positividade corporal

Tendo dito isso, você precisa lembrar que a positividade corporal não é desculpa para não nos cuidarmos, amarmos e nos darmos a atenção que tanto merecemos, comendo de forma saudável e com consciência, exercitando-nos e nos vestindo de maneira que nos sintamos bonitas. Em outras palavras, a positividade corporal é projetar a beleza que sentimos e vemos em nós mesmos para o mundo inteiro ver.

Positividade corporal também não significa ignorar eventuais problemas de saúde que possamos ter. Sim, devemos nos amar e nos aceitar como somos. Mas parte disso é nos cuidar da maneira que merecemos. Se você tivesse uma forte gripe, você não a iria ignorá-la – você iria ficar em casa, tomar sopa e se cuidar. Da mesma forma, se nosso corpo estiver nos dizendo que algo está errado, precisamos aprender a ouvi-lo. Nosso corpo têm uma infinidade de maneiras de nos alertar de que algo está errado. Se estamos constantemente tontos ou enjoados, talvez isso seja nosso corpo nos dizendo que não estamos comendo o suficiente e que o nível de açúcar no nosso sangue está baixo. Se sentimos falta de ar quando andamos, talvez o nosso corpo esteja tentando nos dizer que precisamos nos exercitar ou nos movimentar mais durante o dia. Quaisquer que sejam os sinais que nosso corpo nos dá, precisamos estar atentos a eles. Por isso, precisamos respirar fundo e ouvir o que ele está nos dizendo, para que possamos nos dar o amor e o cuidado que merecemos.

Deixe uma resposta