Mudando nossa perspectiva sobre o fracasso

Traduzido por: Flavia Totoli

Fracasso: O melhor sabor disponível.

Como você define o fracasso? Veja como o Michael Jordan define o fracasso: “Eu perdi mais de 9000 cestas na minha carreira, perdi 300 jogos, fui responsável pelo último ponto 26 vezes e as perdi também. Eu perdi e fracassei várias vezes e é por isso que fui bem sucedido.” Se o Michael Jordan tivesse se culpado por cada cesta perdida e se focado em seus fracassos, será que ele teria sido um dos atletas mais famosos do mundo? O fracasso não é um fim. Muito pelo contrário, cada fracasso é uma etapa no caminho do sucesso, bem como uma chance de observarmos a nós mesmos.

Nós vivemos sob uma pressão enorme para sermos bem sucedidos e alcançar certas coisas desde que vivemos. Pressão familiares, dos amigos e da sociedade, muitas vezes sem percebermos. Nós crescemos buscando a aprovação de adultos e atenção e com o tempo iremos começar a equacionar essa necessidade de aprovação com o sucesso. Como adultos precisamos ser bem sucedidos. Mas o que isso quer dizer exatamente? Como medir o sucesso?

A definição de sucesso normalmente muda de lugar para lugar e de pessoa para pessoa, baseado em seus valores e expectativas. As pessoas que são consideradas “bem sucedidas” estão nas redes sociais e acabam definindo os padrões de sucesso no nosso subconsciente. Daí nos vemos perdendo batalhas que nem queríamos ter entrado. Pense bem, você já se sentiu num dilema entre o que você acredita que é sucesso versus o que os outros acham? Se sim, isso pode ser por causa do conflito entre o que você realmente quer e o que você acha que quer

Essa é a pergunta mais importante que você precisa se perguntar: qual a sua ideia de sucesso e como você faz para medir? Quando você sente que está indo bem e quando você acha que falhou? Sucesso e fracasso são opostos ou são dois lados da mesma moeda?

É importante que tomarmos um tempo para refletir sobre essa questão e redefinir nossa relação com o fracasso, porque cada um de nós define o fracasso de um jeito diferente. Quais são os pré-conceitos mais comuns sobre o fracasso? Vamos olhar juntos.

A perfeição é uma mentira

Se você é uma pessoa perfeccionista, você pode achar que precisa de sucesso em tudo que você tenta pela primeira vez. A perfeição é tão importante para você que fazer uma pausa, dar um tempo, tentar de novo ou até pedir por ajuda pode parecer como um pequeno fracasso para você. Mas veja o problema com a sua lógica: a perfeição não existe. Ela é uma grande mentira. É fisicamente impossível para qualquer criatura, situação ou objeto serem perfeitos, ou desempenharem perfeitamente o tempo todo. Quando você começar a aceitar esse fato e perceber que, você só pode dar o melhor de si uma vez de cada, a conotação negativa que você dá ao fracasso vai começar a mudar e ser encarada como um empurrãozinho que a vida está te dando para tentar de novo.

O fracasso serve para te lembrar a apreciar o caminho

O fracasso pode servir para te lembrar que você está aprendendo, mudando, evoluindo. Quando nos focamos em acertar, ficamos cegos a todas as experiências e aprendizados ao longo do caminho. É uma visão estreita que só permite ver o ponto de chegada e não nos permite parar e apreciar o caminho. Mas esse não deveria ser assim. Errar nos dá a possibilidade de fazer uma pausa, olhar ao redor, olhar para trás, para o caminho e para as decisões que tomamos. Nos força a ficar mais conscientes de nós mesmos e internalizamos lições, valores e observações que podemos levar conosco quando avançamos. De certa forma, o fracasso pode ser uma porta para outras oportunidades.

Fracassar pode ser maravilhoso

Quando começamos a mudar nossa perspectiva sobre o fracasso, começamos a perceber as oportunidades que ele nos traz. Claro, é fácil olhar para trás e rir do nossos erros quando já o superamos. Mas você consegue rir dos seus erros no momento em que eles acontecem? Não estou dizendo que devemos pular de alegria quando fazemos algo errado, mas podemos praticar gratidão, paciência e compaixão com nós mesmos quando isso acontece. Dessa forma podemos encontrar pequenas doses de alegrias e entrar em contato com nossa resiliência, reconhecendo o que aprendemos e do que somos capazes.

Apreciar o caminho não quer dizer só olhar para o lado bom das coisas. Quer dizer aproveitar todo o caminho, até as partes difíceis. O fracasso pode nos fazer focar na estrada. Dessa forma, ao invés de pensar que estamos a caminho do desastre, você pode parar e ver que está tudo bem. Nesses casos, não importa que as coisas deram errado. Não é o fim do mundo e a vida continua. O que você precisa fazer é levantar a cabeça e continuar.

O fracasso traz sabor

Pense nos melhores discursos que você já escutou. O que os faz tão inspiradores? O fracasso. Todo mundo já experimentou. Porque? Porque faz parte da vida. Ter falhado e continuado requer coragem, resiliência, vulnerabilidade, sabedoria e consciência. Isso serve para nós também.

Se você consegue alguma coisa, sem muito esforço, sem obstáculos, desafios ou dor, parece meio irreal, não é tão satisfatório. Seja por causa do nosso ego ou nossa natureza, parece muito mais gratificante quando olhamos para trás e vemos quantas coisas superamos para chegar onde chegamos. Se a vida já é um prato de comida que estamos cozinhando, então o fracasso é a pimenta que dá o colorido. O fracasso pode fazer da sua experiência algo muito mais valioso e memorável.

Você ainda está aprendendo

Se você é um perfeccionista ou aceita a derrota em qualquer dificuldade que encontra, pense nisso: o erro é o melhor professor que podemos ter. “Um exemplo é melhor que uma lição”. Se você errou, pode sempre aprender com o que aconteceu e usá-lo para aprender e chegar onde quer. Quem sabe? Sem ter errado talvez você nunca tivesse aprendido o que precisava para acertar.

Treinando o ego para aceitar o fracasso

O fracasso também nos lembra que há vida fora de nós mesmos. Pode nos fazer perceber que nem sempre podemos ter tudo que queremos, quando queremos. E isso não é ruim: é só uma lição diferente que o fracasso nos ensina e que o ego não consegue: “Você não é a única pessoa que tem desejos e objetivos. Outras pessoas querem ser bem sucedidas tanto quanto você” Lembrar disso nos ajuda a analisar nossa própria vida e a observar a dos outros.

O Fracasso nos lembra quem está no controle

O fato de que existe vida para além de nøes mesmo, ou que não somos o centro do universo não quer dizer que não estamos no controle. Temos o poder de criar nosso próprio caminho, mesmo quando nosso ego está nos colocando para baixo. Você é o motorista da sua própria vida. Você decide o caminho, não importa o que aconteça. Quaisquer que tenham sido os erros do caminho, eles te ajudam a enxergar que é hora de mudar de direção, pode até fazer você ver que é preciso dar um passo atrás. E lembre-se de que tem muita diferença entre desistir e dar um passo para trás para pegar impulso. Errar pode te ajudar a enxergar outros caminhos, outras possibilidades e recomeços. O importante é que importante é perceber que sua atitude e perspectiva sobre os erros do caminho, porque eles são professores e te abrem as portas do futuro.

O que você pensa dessa maneira de ver o fracasso? Você concorda ou discorda com o que foi discutido nesse artigo? Na sua opinião, quais são os aspectos positivos que os nossos erros nos trazem? Você encara o fracasso como oportunidade ou nunca pensou dessa forma?

Vamos conversar! Conte para nós o que você acha nos comentários abaixo.

Deixe uma resposta