Os 5 obstáculos mais comuns para meditar

Não consigo meditar

Não é para mim

Não está funcionando

Eu não tenho tempo

Eu não consigo focar

Alguma dessas frases soam familiares?

Nós vivemos em uma era onde a meditação e seus benefícios estão se tornando cada vez mais proeminentes no mundo ocidental, graças a todas as pesquisas científicas para verificar os efeitos da meditação no cérebro. Muitos desses estudos chegaram a conclusões similares: a meditação altera o cérebros em áreas associadas a memória, foco e aprendizagem. São conhecidos também os efeitos na redução de sintomas de ansiedade e depressão, além de ajudar a regular nossas emoções, especialmente as negativas, nos dando a chance de escolher como respondemos a elas e consequentemente sermos menos afetados. Como resultado aprimoramos nosso bem estar.

Apesar de escutarmos constantemente sobre os benefícios da meditação, muitos de nós não se atreve a praticar pelas mais diversas razões. Pessoalmente, conheço muitos amigos quem me contam que estão física e emocionalmente cansados de suas vidas, como se estivessem numa montanha russa, um dia parece que podem tocar o céu e no outro estão desabando. Encontrar paz é uma luta, mas quando sugiro meditação, recebo sempre as mesmas respostas.

Como praticante frequente e de longa data, eu sei bem que tentar estabelecer uma rotina consistente de meditação não é fácil e todos nós nos deparamos com diferentes obstáculos no caminho que podem atrapalhar nossos esforços ou nos desviar do caminho, já no início. Se você é novo na prática ou se está considerando tentar meditar, fique atento a esses 5 obstáculos muito comuns.

1. Encontrar tempo

“Se você não tem tempo para meditar por uma hora todos os dias, vocie deveria meditar por duas.”

– Provérbio Zen 

Meditar por duas horas pode não ser realístico na sua vida, mas 10 minutos são…

Dizer para si mesmo que não tem tempo para meditar é uma das justificativas mais espertas que a mente usa para nos impedir de começar. A verdade é que muitos de nós vive uma vida corrida, especialmente se estamos vivendo na cidade, temos trabalho e família. Todos nós temos contas para pagar, ir para o trabalho, para a escola, reuniões, fazer supermercado, lavar os pratos, limpar a casa e cuidar da família.

Em meio a essa agenda caótica pode parecer que tirar tempo para meditar é irresponsável e não realista, ou pelo menos é o que nossa mente nos diz. Assim mesmo, 10 minutos de silencia pode ser exatamente o tempo que precisamos para recarregar nossas baterias, descansar nossas mentes e emoções, parar o fluxo incessante de preocupações, dúvidas, medos, aquela ruminação mental diária e até mesmo as vozes dos outros. 10 minutos para aproveitar a quietude calmante do silêncio não é ser irresponsável em relação a nossas vidas e certamente não irá estragar seu dia.

Se você sente que não consegue encontrar 10 minutos para si mesmo, crie esse tempo. Você conhece seus padrões e só você pode criar esse tempo naturalmente em sua vida. Se você é uma pessoa matutina, pode acordar um pouquinho antes do normal e escolher um lugar aconchegante do quarto ou sentar na cama e colocar 10 minutos no seu alarme. Se você não acorda tão alerta, pode criar esse tempo no escritório, durante o almoço ou a noite quando chega em casa. Se você precisa cuidar da família, pode criar esse tempo quando as crianças estão na escola pela manhã, ou mesmo encorajar todo mundo para meditar com você. Se você sente que está terrivelmente ocupada, talvez precise mudar alguns hábitos para criar esse espaço de 10 minutos para meditar, talvez deixando de assistir as notícias ou um seriado que está acompanhando.

No fim das contas: escolha o mesmo momento todos os dias, preferencialmente no mesmo lugar e pela mesma quantidade de tempo e se comprometa a sentar em quietude ou praticar com um aplicativo de meditação. Nesse ponto, não importa se você não consegue focar em nada e sua mente fica rodando em círculos. No começo o mais importante é dar um passo e criar tempo, depois fazer disso um hábito e com o tempo as coisas entram em no seu lugar.

2. Achar que é perda de tempo

Outro truque a mente tenta nos pregar é tentar nos convencer que estamos perdendo tempo. É verdade que temos muitas coisas para fazer, mas também é verdade que tirar um tempo para clarear a mente não é perda de tempo. Na verdade, é uma maneira muito efetiva de melhorar nossa memória, habilidade de planejamento e resolução de problemas.

O que alguns consideram perda de tempo – meditar – na verdade é uma inabilidade de ficar parado por míseros 10 minutos. Isso é de longe uma das coisas mais difíceis quando se começa a meditar e acontece com todo mundo e não só no começo. Eu já tive várias sessões de meditação em que sentei para meditar 20 minutos e passei o tempo todo distraída: “Você precisa fazer isso, você não fez aquilo, o que vou comer no almoço? Ai meu deus, não paguei a conta de luz, quando essa meditação vai acabar???” Tudo isso é normal, especialmente se você não está costumado com o silêncio.

No começo o diálogo interno pode parecer ainda mais turbulento e é aí que muitas pessoas desistem e dizem que estão perdendo tempo com a meditação. Se você está nessa fase, não desista agora, é só sua mente resistindo, como uma criança que faz birra. A mente quer correr do silêncio, porque falar e pensar é o que a mente faz de melhor. Quando você permanece com essa experiência, seu diálogo interno começará a diminuir e eventualmente essa calma interna ficará cada vez mais profunda e não só durante a meditação formal, mas em todos os aspectos da sua vida. A melhor abordagem aqui é ser paciente e gentil consigo mesmo, persistir e começar aos poucos. 5 ou 10 minutos de paz sem interrupções é mais benéfico do que lutar durante 20 minutos “tentando” meditar.

Assim como você não iria começar a academia com exercício intensos, sem antes se aquecer, como um praticante novo de meditação você não quer começar a meditar por uma hora inteira, só para se dar razão de que meditar não é para você ou que está perdendo seu tempo e tem coisas melhores para fazer. 5 – 10 minutos é seu aquecimento, e eventualmente, se sentir necessidade, você pode aumentar seu tempo de meditação. Passo a passo, comece aos pouco e vá evoluindo.

E lembre-se: criar tempo para si mesmo, para olhar para dentro, para dar à mente nervosa um tempo, não é perda de seu precioso tempo. É um serviço que você presta a si mesmo, a sua saúde mental, a sua alma e até mesmo ao bem estar daqueles que te rodeiam.

3- Não saber por onde começar…

Ok, dá para entender.

Com tantas técnicas de meditação disponíveis pode ser confuso saber como começar a meditar. Afinal, podemos meditar de pernas cruzadas, deitados, andando e até mesmo lavando a louça. Talvez você precise experimentar técnicas diferentes para encontrar a mais adequada para você, para a sua vida. Você pode encontrar também diversas formas de meditação que irão ser boas em diferentes momentos da vida.

Apesar de eu não ser a maior fã da tecnologia, eu tenho que admitir que fez a meditação mais acessível para pessoas em qualquer lugar no mundo. Enquanto antigamente quem queria meditar precisava viajar para lugares longe para aprenderem a meditar, agora temos a conveniência de fazer isso a qualquer momento, com a ajuda dos nossos aparelhos.

Se você tem um smartphone e conexão com a internet, você pode baixar apps de meditações que te ensinarão técnicas que muitas de nossas mais queridas e antigas tradições vêm tentando nos ensinar. Se você precisa de guia para sua prática de meditação eu recomendo conferir o Meditopia. Eles tem um conjunto incrível de meditações guiadas e músicas, organizada de maneira que iniciante e praticantes mais experientes podem seguir facilmente.

4. Evitando a prática por causa de crenças populares ou religiosas

Surpreendentemente muitas pessoas não meditam porque acham que é uma coisa de hippies e outros tem medo de que entrem em contradição com suas religiões. A prática de meditação não é nem uma coisa nova ou uma religião.

Em primeiro lugar, a meditação existe há muito tempo e tem sido discutida em muitos dos mais antigos textos conhecidos da humanidade, como Os Vedas , que datam mais de 1500 ano AC. Em Segundo lugar, a meditação não interfere com nenhuma crença ou prática religiosa porque não é uma prática para se conectar a Deus ou outra deidade, mas um tempo para nos dedicarmos a nossa mente, treinar para acalmá-la, ser mais objetiva e pacífica. A meditação te ajudará a se conectar com o que quer que você acredite e fortalecer esses laços te fará sentir mais em paz, mais compassivo e amoroso para com todos, o que em essência é a mensagem de todas as tradições religiosas do  mundo.

5. Acreditar que é uma pílula mágica

É importante entender que a meditação não é uma pílula mágica que te levará para um lugar mágico onde todos os seus problemas serão esquecidos ou resolvidos do dia para a noite. Depois de terminar sua prática, você ainda terá que viver no mesmo mundo, lidar com seu chefe, colegas, ir trabalhar, pagar as contas, lavar os pratos e se engajar em todos os aspectos de sua vida pessoal, profissional e social.

Então a meditação não fará suas responsabilidades desaparecerem, ela irá te ajudar a lidar com elas de maneira mais atenta. Seu chefe cheio de manias, não será mais aquela pessoa chata mas um ser humano como você que simplesmente está tendo um dia difícil ou problemas em sua vida, lavar os pratos não será mais uma atividade compulsória que ninguém quer fazer depois de comer, mas se tornará uma oportunidade de estar no momento e apreciar sua própria presença, o trabalho que você não gosta será menos insuportável e uma fonte temporária de dinheiro que te permite ter um teto e comida na mesa. Não, a meditação não é uma pílula mágica, mas nos permite ver e experimentar a mágica da vida mesmo em tempos difíceis.

Se queremos levar uma vida feliz e pacífica, precisamos nos esforçar para permitir que isso aconteça e meditar é uma ótima ferramenta para nos ajudar a fazer exatamente isso.

Se você puder se lembrar só de uma coisa de tudo que discutimos aqui é ser paciente, compassivo, consistente e acima de tudo, começar agora. Como disse Rabindranath Tagore, “Você não pode cruzar o mar se ficar só olhando para a água.” Então embarque nessa grande jornada da sua vida e não hesite em procurar pessoas com um pouco mais de experiência, participe de grupo de meditação ou tente um app de meditação como o Meditopia.

Quais são alguns dos obstáculos que você enfrentou quando tentou meditar? São parecidos com o que discutimos nesse artigo? Conte para nós nos comentários abaixo!

Traduzido por: Flavia Totoli

Deixe uma resposta