6 estratégias para sobreviver em um ambiente de trabalho tóxico.

Tradutor: Flavia Totoli

Não é nenhum segredo o fato de que vivemos em um mundo extremamente competitivo. E essa cultura da competição afeta quase todos os aspectos de nossas vidas, desde nossa vida familiar até o sistema escolar, passando até mesmo por nossa vida amorosa. Mas há uma área de nossa vida que a cultura da competição afeta mais: a vida profissional e o ambiente de trabalho. Nossa cultura, competitiva e orientada à produtividade, transformou alguns espaços de trabalho em ambientes por demais rígidos e difíceis de navegar. Às vezes, as coisas chegam ao ponto de nos sentirmos sufocados. Nosso ambiente de trabalho pode ser tão estressante a ponto de afetar nosso bem-estar durante outras atividade. Nesses casos, o ambiente não é apenas estressante, é tóxico. Por isso, é importante saber como sobreviver nele, como lidar com ele e quando sair.

O que é um ambiente de trabalho tóxico?

Vamos começar definindo o que é um ambiente de trabalho tóxico. Um ambiente de trabalho tóxico é um ambiente onde a disfunção e o drama reinam. Seja devido a um chefe raivoso, colegas maldosos, fofocas ou níveis enlouquecedores de desorganização, é difícil sobreviver em um ambiente de trabalho tóxico. Há uma pressão constante para trabalhar mais e produzir mais, seja do chefe ou dos colegas. Isso pesa nos funcionários e os desmotiva, mesmo quando eles gostam do que fazem e querem fazê-lo bem. Tal ambiente mata a produtividade e criatividade. Isso nos estressa tanto que acabamos não querendo ir trabalhar de manhã, e no final do dia carregamos esse estresse para casa.

Quando estamos nesse tipo de ambiente, a melhor coisa que podemos fazer é sair. Mas às vezes, isso não é uma possibilidade. Pode ser que nosso cargo atual vá beneficiar nosso plano de carreira, pode ser que haja promessas de promoções ou mesmo questões financeiras, às vezes podemos nos sentir presos ao nosso emprego. Por enquanto, podemos até ter que ficar, mas isso não significa que temos que ser infelizes. Muitas vezes, a infelicidade que estamos sentindo é causada tanto pela própria situação quanto pela nossa reação a ela. Podemos até estar presos a um ambiente tóxico, mas podemos escolher como reagir. Podemos optar por mudar nossa perspectiva, encontrar aspectos positivos na experiência e não deixar que o ambiente em que estamos roube nossa alegria.

Pergunte-se: Por que estou aqui?

O primeiro passo é se fazer algumas perguntas. Para melhor ou pior, você está na ocupação que escolheu. Infelizmente você também está atualmente preso em um ambiente de trabalho tóxico. Uma vez que o ambiente em que você trabalha está tendo um impacto negativo em você e possivelmente em sua produtividade e criatividade, este pode ser um bom momento para questionar sua motivação: Você gosta do que faz, apesar das condições de trabalho não serem ideais? O que o motiva a fazer o trabalho que você faz? Com o que você está descontente em seu local de trabalho? Há algo que você possa fazer para melhorar a situação em que está? Se não, você consegue mudar para um outro lugar? Se, no momento, você não puder mudar para um outro lugar, o que você pode fazer para mudar sua perspectiva sobre a situação? O que você pode aprender a aceitar por enquanto, a fim de ter dias melhores no longo prazo?

Tenha um local seguro

Em um ambiente tóxico, pode parecer que você está cercado de negatividade. É por isso que é importante ter um espaço seguro, para que você possa sentir-se confortável e ficar sozinho por alguns instantes. Um lugar assim é muito útil quando você precisa de paz para refletir sobre sua ocupação, propósito na vida e local de trabalho. Tentar tomar grandes decisões para o futuro, como continuar ou não em sua ocupação atual ou o que fazer algo sobre a situação, pode ser muito desconfortável. A incerteza do futuro só contribui para isso. Mas não podemos nos permitir entrar em pânico e perder o controle. Às vezes, precisamos desligar um pouco a mente, para depois pensar nas coisas com calma e com todo o nosso coração. Um espaço seguro pode ser o lugar perfeito para isso, especialmente nos momentos em que nos sentimos sobrecarregados ou como se estivéssemos prestes a perder o controle.

Se você tiver uma mesa, um cubículo ou um escritório, você pode decorá-lo com itens pessoais que fazem você se sentir seguro ou amado. Rodear-se de fotografias, desenhos ou pequenas bugigangas – como um desenho de seus filhos ou cartões de entes queridos – pode ajudá-lo a lembrar que sua vida profissional não é toda a sua vida. Esses objetos também o lembrarão de todas as coisas positivas que você tem na vida, apesar de estar preso a esse ambiente de trabalho no momento. Essas coisas podem te ajudar a centrar-se durante do dia, especialmente quando o trabalho é exaustivo.

Se você não tiver um espaço próprio, você pode procurar algum espaço seguro onde consiga ficar sozinho com seus pensamentos. Pode ser um café perto do seu local de trabalho, dar um passeio ao redor do prédio ou o jardim do edifício em que você está… Encontrar um espaço longe do ambiente negativo o ajudará a manter um estado de espírito mais positivo.

Faça um Intervalo

É extremamente importante fazer um pequeno intervalo quando sentir que a toxicidade do local de trabalho está te contaminando. Quando o estresse no trabalho for demais, quando seus colegas de trabalho estiverem incomodando, quando seu chefe estiver especialmente irritado – seja qual for a causa de sua ansiedade, recoste-se na cadeira e respire fundo. Faça alguns exercícios de respiração ou medite por alguns minutos. Lembre-se de que esse momento passará e que você não estará aqui para sempre. Lembre-se de todas as coisas boas da sua vida e liste as coisas pelas quais você é grato. Preste atenção aos seus batimentos cardíacos e respiração, observe seus pensamentos e tente ver quando os padrões negativos emergem. Lembre-se de que você não é esses pensamentos ou o ambiente em que está. Você é você, valioso e completo, e ninguém pode te tirar isso.

Foque no que há de positivo

A maneira como percebemos o mundo ao nosso redor é uma escolha consciente. Podemos optar por nos concentrar nas coisas negativas que nos rodeiam, o que é extremamente fácil em um ambiente tóxico, ou podemos optar por nos concentrar no que há de positivo. Lembre-se de reparar nas coisas positivas. Não deixe que esses momentos simplesmente passem. Senão, você pode perder a chance de fazer amizade com alguém que está passando pelas mesmas coisas que você e que pode entendê-lo e apoiá-lo. Se não prestar atenção, você pode ignorar até algo tão simples quanto um belo pôr do sol no final da tarde. Aproveite tudo o que você puder, quando puder, onde estiver, no momento presente.

Desabafe, e não carregue os problemas do trabalho com você

Não devemos carregar os problemas do trabalho conosco, mas também não devemos reprimir nossas frustrações. Encontrar alguém para conversar e desabafar, seja o seu cônjuge, um amigo ou até mesmo seu pai ou mãe, pode ajudar imensamente. Manter um diário e colocar seus agravos no papel também pode ser muito terapêutico. Apenas certifique-se de que não continua carregando seus problemas com você depois de colocá-los para fora. Areje sua mente e não deixe que o que está acontecendo no trabalho obscureça o resto da sua vida.

Cerque-se de colegas que pensam como você

É muito provável que você não seja a única pessoa nesse local que se sente chateada ou frustrada. Procure por amigos que pensam como você e com quem você pode compartilhar essas experiências. Ajudem uns aos outros quando precisarem, mas não se envolvam nas fofocas do escritório. Embora ao fofocar possa parecer que você está se vingando da dor que lhe foi infligida, isso só agrava suas frustrações em vez de aliviá-las. Quando você termina de fofocar, pode se sentir ainda mais cansado do que quando começou. Além disso, o que você diz pode atingir as pessoas erradas.

Planeje o Futuro

Apesar de estar preso em um local de trabalho tóxico no momento, é importante lembrar que as coisas nem sempre serão assim. Talvez haja vários motivos para você não conseguir sair do lugar em que está, como os motivos financeiros, por exemplo.  Mas isso não significa que você não pode planejar um futuro melhor. Lembre-se de quando estava se perguntando “Por que escolhi trabalhar com isso?” E “Por que estou nessa ocupação?” Ao fazer isso, você estava efetivamente questionando suas motivações, ou seja, você estava nomeando aquilo que o motiva a fazer o trabalho que você faz. O que é que te motiva? O que você mais ama no seu trabalho? O que lhe traz alegria quando você está trabalhando? Meditar mais sobre questões como essas o ajudará a perceber a paixão que alimenta seu trabalho.

Depois disso, você pode começar a planejar onde deseja estar em um ano, cinco anos ou até dez anos. Você pode agora estar preso a um ambiente negativo, mas lembre-se que isso não é permanente e que permitirá a você tomar o caminho que deseja no futuro. Não podemos planejar cada passo de nossas vidas. O que podemos fazer é acolher seus altos e baixos e confiar na vida. O que podemos fazer é colher todos os benefícios da situação em que estamos, acumular as experiências que precisamos para viver a vida profissional que desejamos e reconhecer quando for a hora de seguir em frente.

Enquanto isso, podemos olhar para o ambiente à nossa volta a fim de encontrar as coisas que podemos aprender a aceitar. Podemos ficar atentos às nossas emoções e necessidades, e entender quando precisamos agir – seja enfrentando uma situação de trabalho desagradável ou se preparando para seguir em outra direção. O interessante da vida é que ela coloca as oportunidades mais inesperadas diante de nós e nós não nos darmos conta disso. Quando estamos mais atentos às nossas emoções e agimos informados por elas, nos tornamos conscientes dessas oportunidades e, então, podemos aproveitá-las. Isso pode não ser tão fácil quanto parece: na verdade, pode ser absolutamente aterrorizante, mas você nunca sabe o que o aguarda na próxima esquina. Se aprendermos a aceitar esse simples fato, poderemos seguir com a nossa vida sem nos envolver com os ambientes negativos em que nos encontramos.

Deixe uma resposta