Entendendo o seu porque

Porque precisamos descobrir nosso “porque”? 

Friederich Nietzche disse uma vez “Aquele que tem um porque pode suportar todos os comos”. Concordando ou não com sua filosofia, esse ponto tem sido amplamente reconhecido e aceito ao longo do tempo. Esse “porque” ao qual o autor se refere é o propósito da vida – a motivação interna que nos guia e habilita as pessoas a navegarem por altos e baixos e continuar em seu caminho. Isso contribui para um senso de propósito, e para muitos, é a razão de estar vivo.

Ao longo dos anos, muitos estudos mostram que ter um propósito de vida ou “porque” melhora muito o bem estar mental e físico das pessoas. Isso trás potencial para reduzir os níveis de estresse, melhorando mecanismos de resiliência e encorajando escolhas de vida mais saudáveis. Na verdade, um estudo em andamento de 7000 pessoas com mais de 50 anos, mostra que, estatisticamente, as pessoas tendem a ter uma saúde física e mental melhor quando tem um senso de propósito individual claro. Em outro estudo, pacientes que sofrem de artrite e estão para ter cirurgias, também tem melhores estratégias de enfrentamento e recuperação quando se mostram conectados ao seu porquê. 

Deixando um pouco as pesquisas de lado, vamos pensar em exemplos mais básicos. Imagine que você tem um propósito. Você quer abrir sua empresa ou viver com a pessoa que ama ou conseguir cuidar de seus pais que estão envelhecendo. Pelo fato de ter esses “porques” de longo prazo, a probabilidade que seja mais consciente de sua saúde é alta. Se você for ao médico, por exemplo, e ouvir que seu colesterol ou níveis de açúcar no sangue estão altos, provavelmente irá prestar atenção na sua dieta e começar a fazer exercícios. Ter um propósito te dá uma razão importante para pensar em longo prazo. A lógica é simples: o que você quer atingir servirá de motivação para fazer escolhas mais saudáveis.

Então, como posso descobrir o meu “porque”?

Algumas pessoas vivem por um grande amor. Outras encontrar significado em seu trabalho. E outras encontram seu propósito vivendo uma vida simples e sem estresse, longe do caos das grandes cidades. Porque cada um de nós é único, existem tantas razões para viver quanto existem pessoas no mundo. Todos temos nossos próprios desejos, necessidades, ambições e objetivos. Então, se ter um “porque” é importante para a longevidade e melhora nossas chances de bem estar, como podemos descobri-lo? Como saber qual é o nosso “porque”? 

Algumas pessoas têm a sorte de descobrir seu propósito na vida muito cedo. Para outras, demora um pouco mais. Você pode descobrir o seu durante a faculdade ou aos 30 anos, ou depois de se aposentar. Cada um descobre em seu próprio tempo. Se você ainda não descobriu o seu, fique tranquilo: você não está sozinho. Respire fundo e lembre-se que, ainda que não esteja conectado ao seu “porque”, você está no caminho de encontrá-lo. Contanto que você continue procurando, eventualmente vai chegar a ele.

Nesse meio tempo, aqui estão algumas provocações para você refletir que podem ajudar:

O que te inspira e te ascende?

A palavra “inspirar” vem de uma palavra em Latim que significa “soprar vida em”. Quais são as coisas que você sente que “sopram vida” dentro de você? O que te dá energia e te faz sentir vivo? Enquanto pensa sobre isso, comece a escrever as respostas que aparecem na sua cabeça. Não importa o quão grande ou pequena ela seja. A única coisa que importa é como ela faz você se sentir.

Quais são suas potencialidades e suas habilidades? A que você dá valor?

Em essência, quais são os problemas que você resolve com maestria? O que você sabe fazermuito bem? Como você sente que está colaborando? Quais são suas melhores habilidades? Comece a fazer uma lista das suas habilidades, forças, capacidades, conforme elas aparecem para você. Provavelmente você vai descobrir que não estava dando o devido valor a elas e que passaram desapercebidas.

Como você pode combinar suas pontencialidade e habilidade com as coisas que te inspiram e fazem você se sentir vivo?

Agora chegamos ao “X” da questão. Você escreveu duas listas muito importantes: uma lita que te inspira e uma lista das suas potencialidades e habilidades. Coloque essas listas lado a lado e veja se encontra uma maneira de combiná-las. Quais, se houver alguma, são as habilidades e inspirações que você pode combinar? Como pode conectá-las? Tenha paciência com esse processo. Como eu disse antes, descobrir nosso propósito leva tempo e reflexão. É natural não ver tudo com clareza no começo, como combinar uma coisa em que você é bom, talvez como redator, com ser voluntário num abrigo da cidade. Quanto mais você reflete sobre suas forças e inspirações, no entanto, maior serão as chances de conseguir combiná-las. Quanto mais você descobre, mais pode experimentar.

Será que vou gostar desse processo? Como vou saber se consegui encontrar meu “porque”?

Então, você pensou muito e encontrou um jeito de combinar suas habilidades com suas inspirações. Como no exemplo acima, vamos dizer que você pensou sobre como combinar suas habilidades de redator com uma atividade que te inspira, como ser voluntário em um abrigo da cidade. Você decidiu que escrever anúncios promocionais e usar as mídias sociais para estimular a adoção de animais é a combinação perfeita dos dois. Como saber se esse é o seu “porque”, parcial ou total?

A resposta para essa pergunta é mais simples do que o que você imagina: você não vai saber se não tentar. Se você tem uma idéia que acha que vai pode te ajudar a mesclar suas habilidades com suas inspirações, arrisque e veja como se sente. O pior que pode acontecer é ter tentado alguma coisa nova e empolgante que possa gostar. Na melhor das hipóteses você deu um passo à frente na descoberta do seu propósito de vida.

Como você avalia sua vida?

Nesse ponto, existe uma pergunta final e muito importante: como você avalia sua vida?

Algumas pessoas avaliam suas vidas com base em acúmulos financeiros. Outras em quantas outras vidas tocou e influenciou. Outros pensam em memórias felizes que tiveram com entes queridos e quanta alegria pode proporcionar a eles. Da mesma forma com os “porques”, as pessoas avaliam suas vidas de maneiras diferentes. Entender como você quer que sua vida seja avaliada, vai te ajudar a se reconciliar com suas inspirações e habilidade e chegar cada vez mais perto do seu propósito de vida.

Traduzido por: Flavia Totoli

Deixe uma resposta