3 maneiras de praticar gratid√£o nos relacionamentos

Traduzio por: Flavia Totoli

O relacionamento que temos com as pessoas que amamos determinam v√°rios outros aspectos das nossas vidas. Em v√°rias culturas, os la√ßos familiares, de amizade e com a comunidade em geral s√£o encaradas como uma das coisas mais valiosas da vida. Nutrir e fomentar essas rela√ß√Ķes √© encarado como uma parte essencial de uma vida plena e feliz.

Um rela√ß√£o, em particular, √© especialmente significativa no que diz respeito a nossa sensa√ß√£o de paz de esp√≠rito e felicidade – estamos falando de nossos parceiros rom√Ęnticos. Pense numa √©poca que foi complicada para voc√™ e seu parceiro. Provavelmente lhe tomou muita energia e voc√™ se sentia exausto, triste e machucado. Todos n√≥s passamos por isso. A pessoa que amamos pode, muitas vezes, parecer um inimigo distante, algu√©m que n√£o reconhecemos, que n√£o liga para n√≥s ou para nossos sentimentos. Nessas horas, uma avalanche interna pode nos fazer sentir realmente doentes. Ficamos distra√≠dos, nossas emo√ß√Ķes s√£o intensas e n√£o conseguimos ver as coisas com clareza.

Por isso √© t√£o importante ter um tempo para considerar o que podemos fazer para criar um ambiente saud√°vel, amoroso, com uma din√Ęmica de respeito m√ļtuo com nosso parceiro. Pode parecer muito tempo e esfor√ßo para construir bases s√≥lidas, mas certamente √© melhor do que tentar consertar uma rela√ß√£o t√≥xica.

Vamos conversar hoje sobre três formas para sermos mais atentos, presentes e ativos na construção de um relacionamento pleno, com amor e carinho, junto ao nosso parceiro.

Antes de começar, no entanto, vamos nos lembrar da definição de gratidão. A gratidão se define como a qualidade de sermos agradecidos, gentis e estarmos prontos para mostrar nosso apreço por outra pessoa. Então, como fazer para demonstrar esses sentimentos para a pessoa que amamos?

Praticando gratid√£o com clareza

No livro Dare to Lead, de Bren√© Brown, um aspecto que salta aos olhos e me parece essencial para come√ßar e manter um relacionamento baseado em confian√ßa, respeito e responsabilidade. Nesse livro, a autora diz: ‚ÄúSer gentil √© ser claro. N√£o ser claro √© ser cruel.‚ÄĚ E ela explica como ser aberto sobre o que se quer, sobre expectativas, objetivos, desejos para o futuro e sentimentos, seja com um amigo, um familiar ou namorado e marido √© a coisa mais respeitosa e gentil que podemos fazer por quem amamos. O contr√°rio, ou seja, esconder nossas expectativas, n√£o falar claramente o que queremos ou precisamos ou estamos sentindo n√£o √© indelicado com a pessoa que estamos nos relacionando.

Vamos pensar no que acontece com nossos relacionamentos quando n√£o dizemos o que estamos pensando. Pense na primeira vez que conheceu algu√©m que voc√™ estava interessado. Voc√™ n√£o sabe quais s√£o as expectativas, planos ou o que ele pensa sobre voc√™. Voc√™ n√£o sabe nada sobre o seu passado, o que ele considera como um relacionamento saud√°vel, seus valores, ou o que procuram em um parceiro. Voc√™ n√£o sabe se ele sonha em viver num barco ou num chal√© nas montanhas, voc√™ n√£o sabe se ele quer ter filhos. E apesar de todas essas interroga√ß√Ķes, normalmente n√£o fazemos essas perguntas. Temos medo que possamos parecer desesperados, estranhos e n√£o queremos assustar a pessoa.

Passam-se meses e ainda não sabemos nada sobre as expectativas e planos que a pessoa tem sobre nós ou seu futuro. Nos sentimos ansiosos, estressados e exasperados tentando decifrar cada coisa que o outro fala ou faz, na esperança de que as coisas que imaginamos sejam verdade. Isso é frustrante demais, além de uma perda de tempo.

Mesmo em relacionamentos longos, podemos ainda n√£o ter clareza do que nossos parceiros querem ou suas expectativas. Imagine casar com algu√©m sem saber que tipo de vida voc√™ quer viver com ele. Toda essa energia gasta em pensar, imaginar, se estressar ruminar sobre quest√Ķes n√£o respondidas, √© exatamente a raz√£o pela qual n√£o dizer o que se pensa √© cruel com o outro. E isso vale para os dois. Ningu√©m √© capaz de ler pensamento ou entender nossos sonhos, objetivos, preocupa√ß√Ķes e planos se n√£o nos comunicamos com clareza. √Č uma forma de gentileza compartilhar nossas expectativas, necessidades e desejos com nosso parceiro. Na verdade, talvez seja bacana at√© falar al√©m do que se espera. O que eu quero dizer com isso √©:  √© bom falar sobre coisas que podem parecer at√© detalhadas demais sobre quem voc√™ √©, e o que voc√™ quer. Por exemplo, como voc√™s ir√£o dividir tarefas dom√©sticas, como voc√™s ir√£o gerenciar o dinheiro, juntos ou n√£o, quais s√£o seus objetivos profissionais, se voc√™ espera que seu parceiro sustente a casa, se voc√™s querem morar na cidade ou no interior.

Agora, n√£o √© porque voc√™ diz o que quer, que vai conseguir tudo que quer. Longe disso, √© preciso muito comprometimento e discuss√Ķes para chegarem a um modelo que seja bom para os dois. Mas ser claro com seu parceiro sobre suas expectativas e vice-versa ajudar√° voc√™s a constru√≠rem juntos uma vida mais satisfat√≥ria e verdadeira.

Praticando gratid√£o quando conhecemos a linguagem do amor do nosso parceiro

Outra abordagem para expressar nosso amor e gratid√£o ao nosso parceiro √© atrav√©s do que o Dr. Gary Chapman chama em seu livro de ‚ÄúAs cinco linguagens do amor‚ÄĚ. Nessa s√©rie de livros, o autor, palestrante e conselheiro de relacionamentos, nos lembra que para estar num relacionamento onde amor, respeito e considera√ß√£o incondicional florescem, precisamos expressar nosso amor de uma maneira que nosso parceira entenda.

Ele segue explicando que cada um de n√≥s tem prefer√™ncias diferentes sobre como nos sentimos amados: presentes, tempo, palavras, a√ß√Ķes, e toque. Quando voc√™ entende a prefer√™ncia do seu parceiro e expressa seu amor de uma forma espec√≠fica, a chance de seu parceiro notar e entender a profundidade de seus sentimentos aumenta. Chapman chama isso de ‚Äúencher seu tanque de amor‚ÄĚ

Da mesma forma, se voc√™ est√° demonstrando seu amor de uma maneira que seu parceiro n√£o entende, voc√™ arrisca que ele n√£o sinta que voc√™ se importa e o deixa com o ‚Äútanque de amor vazio‚ÄĚ. Se voc√™ e seu parceiro sentem curiosidade sobre a perspectiva da linguagem do amor um do outro, continue lendo para entender como voc√™ recebe amor. A medita√ß√£o √© outra forma de identificar as coisas que seu parceiro faz e que s√£o muito importantes para voc√™. Atrav√©s de exerc√≠cios de visualiza√ß√£o, voc√™ conseguir√° entender todas as pequenas a√ß√Ķes do seu parceiro que podem refletir a linguagem de amor dele ou preencher a sua.

Eis um exemplo para voc√™ pensar. Digamos que minha linguagem prim√°ria de amor sejam a√ß√Ķes e tempo e que a do meu parceiro sejam presentes e palavras. Se eu tentar mostrar meu amor por ele ajudando-o com uma atividade ou projeto, limpando seu carro ou fazendo um piquenique juntos, claro que ele poder√° gostar dessas coisas, mas pode ser que ele n√£o perceba que estou fazendo essas coisas para demonstrar meu amor. Mas e se voc√™, consciente da linguagem de amor dele, surpreend√™-lo com um presente bacana ou nunca deixar de dizer para ele como se sinto e o quanto o ama? O ‚Äútanque de amor‚ÄĚ dele ir√° transbordar!

Estar em um relacionamento, muitas vezes significa colocar as nossas prefer√™ncias de lado e reconhecer o que faz seu parceiro se sentir feliz, amado, apreciado e respeitado. N√£o √© sobre voc√™ ou sobre como voc√™ encara o amor. Ent√£o, ao inv√©s de perguntar o que voc√™ pode ganha por estar com seu parceiro, voc√™ pode mudar sua percep√ß√£o sobre como voc√™ pode contribuir de maneira positiva para a vida dele. Voc√™ pode come√ßar perguntando uma vez por semana: ‚Äúo que eu posso fazer para melhorar sua vida ou deix√°-la mais f√°cil essa semana?‚ÄĚ e de fato fazer. Uma vez que voc√™ se esfor√ßa para aprender e mostrar seu amor na linguagem que seu parceiro entende, voc√™ ir√° reaquecer a chama do seu amor e aprofundar sua conex√£o de um modo inesperado.

Estar presente e Aceitar seu parceiro

√Äs vezes as respostas para nossos maiores problemas de relacionamento est√£o bem na nossa frente. Pense bem, talvez seu parceiro tenha por h√°bito encontrar com os amigos algumas vezes no m√™s ou dando pequenos presentes para pessoas pr√≥ximas. Estando presente e observando os h√°bitos dele, √© poss√≠vel entender muito sobre o que ele pensa que o amor deve ser. Mais ainda, quanto mais presente voc√™ fica quando est√° com seu parceiro, mais voc√™ come√ßa a reconhecer as pequenas a√ß√Ķes que ele toma para tornar sua vida e a de pessoas pr√≥ximas melhor e mais f√°cil. Consequentemente, quanto mais abrimos nossos olhos para esses atributos, mais a gratid√£o e o apre√ßo por nosso parceiro aumenta e com isso nossa vontade de demonstrar amor.

Outro componente que √© f√°cil de esquecer √© aceitar nosso parceiro como eles s√£o naquele momento. Muitas vezes, resistimos e lutamos contra certas caracter√≠sticas e h√°bitos porque temos uma ideia formada de como eles deveriam ser, e de como queremos que eles sejam. Isso √© exatamente o inverso do que conversamos nos par√°grafos acima, e cria tens√£o. A aceita√ß√£o requer querer receber abertamente as experi√™ncias, caracter√≠sticas, mem√≥rias, atributos, e – o mais importante – falhas do nosso parceiro. Assim como voc√™ tem uma personalidade √ļnica, formada por mem√≥rias e experi√™ncias, o mesmo √© verdade para seu parceiro. Assim como voc√™ evoluiu e mudou ao longo do tempo, a mesma coisa acontece com ele. A melhor maneira de demonstrar gratid√£o e amor √© aceitar, voc√™ mesmo e seu parceiro.

Evidentemente, pode ser uma luta di√°ria n√£o for√ßar uma situa√ß√£o, corrigindo e ‚Äútreinando‚ÄĚ nossos parceiros. Confie em mim, eu sou obcecada por controle, e muitas vezes tive que morder a l√≠ngua para n√£o criticar o modo como meu parceiro faz alguma coisa. No entanto, quando fa√ßo uma pausa e olho para o contexto, para o valor, a influ√™ncia positiva e o apoio que meu parceiro me traz, isso supera e muito as falhas. As medita√ß√Ķes do Meditopia sobre os relacionamentos me ajudaram, de fato, a acalmar essas vozes cr√≠ticas. Durante esses sete dias, aprendi a desviar minha aten√ß√£o da vontade de querer mudar os h√°bitos dele e a me concentrar na imensa alegria, apoio e amor que sinto. Como disse, n√£o √© uma cura da noite para o dia, mas me ajudou a tomar medidas para treinar minha mente sobre como abordar nosso relacionamento.

A gratid√£o requer pr√°tica mas a sa√ļde do relacionamento vale a pena.

N√≥s falamos sobre algumas abordagens que ajudam a aquecer e manter uma din√Ęmica plena para os dois, mas nada disso funciona sem tempo ou pr√°tica. Do mesmo jeito que damos pequenos passos todos os dias para melhorar nossa sa√ļde, nossa apar√™ncia e vida profissional, precisamos tamb√©m reconhecer que nosso relacionamento, uma parte da vida que tem um impacto enorme em todos os outros aspectos, requer aten√ß√£o e considera√ß√£o. Isso n√£o quer dizer que precisamos fazer uma revolu√ß√£o da noite para o dia. O prop√≥sito da s√©rie de medita√ß√£o em relacionamentos √© dar a voc√™ e ao seu parceiro um tempo, n√£o mais do que vinte minutos, para parar, observar a rela√ß√£o e considerar formas de nutrir mutuamente o amor, respeito e apoio um pelo outro.

Como sempre, adorar√≠amos saber o que voc√™ est√° pensando. O que ajuda voc√™ e seu parceiro a manter uma din√Ęmica saud√°vel? Voc√™ e seu parceiro tem linguagens de amor diferentes? O que seria a coisa que voc√™ poderia come√ßar a fazer hoje para tornar a sua vida e de seu parceiro melhor?

Clique aqui para começar a série de meditação de Relacionamentos do Meditopia.

Deixe uma resposta