Prática de atenção plena pode & sua vida sexual

Traduzido por: Flavia Totoli

Pense na última vez que você dormiu com seu parceiro. Tente se lembrar da experiência da sua mente naquele momento, ao invés da questão física. Onde estava sua mente quando olhava nos olhos do seu parceiro? Pode ser que você estivesse pensando em diversas coisas no momento, se você estava ou não próximo de atingir o orgasmo, se o seu parceiro notou que você ganhou peso ou não, se você está conseguindo satisfazê-los ou não, a lista de coisas que você ainda precisa fazer hoje, um amigo que está com problemas ou se seu filho que está no quarto ao lado pode ouvi-los ou não. A lista só irá crescer, se você deixar.

A atenção plena pode nos ajudar a manter o foco em qualquer coisa que estejamos fazendo no momento, pode portanto ser um guia enquanto você está fazendo sexo, tanto quanto quando você está comendo ou fazendo uma caminhada. Sexo com atenção plena é um tópico discutido cada vez mais nos dias de hoje, pois é visto como uma forma importante de superar problemas com a intimidade e alegria durante o sexo. Mesmo que você não sinta que tenha tido problemas no seu relacionamento até agora o sexo com atenção plena é uma maneira efetiva de apreciar cada vez mais sua vida sexual. Ter atenção plena durante o sexo pode te ajudar a ter uma experiência mais prazerosa, estar presente com seu parceiro e todas as emoções, sensações e pensamentos que fazem parte dessa experiência.

“A mente não quer realmente alguém novo, só quer alguma coisa nova.”

– Rayka Kumru

Atenção Plena e Sexo

Para contribuir com essa conversa, entramos em contato com a sexóloga Rayka Kumru e a ativista sexual Jessica Graham. Kumru descreve sexo com atenção plena como “qualquer atividade sexual que fazemos com todo nosso coração, mente e corpo…” enquanto Graham o define como: “Você não precisa escolher uma coisa a outra. Faça o que parece certo para você.”

Nossas mentes podem acabar se colocando entre nós e nosso parceiro durante o sexo, especialmente se o relacionamento não está indo tão bem. O entusiasmo e a adrenalina que sentimos nos primeiros meses de nosso relacionamento tendem a diminuir e dar lugar a certas responsabilidades e preocupações. Isso não quer dizer que nosso amor ou desejo acabaram, só quer dizer que nossas mentes estão priorizando outras coisas que não o sexo. Graham menciona que os casais que a procuram, em geral estão juntos há algum tempo. Ela enfatiza que a paixão normalmente diminui e dá lugar a uma lealdade mais  serena e essa transição é, de fato, baseada na biologia: “Sexo com atenção plena pode ser de grande ajuda nesse estágio. Pode nos ajudar a entender o que é prazeroso para nós, bem como descobrir coisas novas. Além disso, sua sexualidade ou a relação sexual com seu parceiro sempre precisará de atenção assim como um amigo precisaria. Pense em como seu relacionamento com um amigo pode se deteriorar se vocês nunca conversam.” Rayka enfatiza algo similar sobre relacionamentos longos e o sexo com atenção plena: “A mente não quer realmente alguém novo, só quer alguma coisa nova.”

Dicas para uma relação sexual com mais atenção plena

Durante nossa entrevista, perguntamos a Rayka por dicas sobre como estabelecer uma relação sexual com mais atenção plena: “Acredito que uma das coisas mais importantes é não ter pressa. Nossas vidas já são muito corridas. Outro ponto é não considerar sexo ou expressão sexual somente como a relação sexual em si. Nudez, beijos, abraços, estar juntos, olhar um para o outro, dançar, assistir alguma coisa erótica… Todas essas atividades são formas pelas quais expressamos nossa sexualidade. Quando reduzimos a atividade sexual para somente sexo, nós a reduzimos a dois objetivos: penetração e ejaculação. Tendemos a estar mais presentes e apreciar mais o sexo se não estamos com pressa. Não ficar só pensando em termos de chegar em algum lugar também nos ajuda a ir mais devagar, porque não estamos pensando em ir para algum lugar ou ser alguma coisa.

O que nos leva ao terceiro ponto: o toque. O que a mídia popular nos apresenta como “preliminares” também nos induz a pensar que o objetivo do sexo é a penetração. Mas, se queremos estar no momento com nosso parceiro e apreciar as sensações que temos com um simples toque, nós encontramos o mesmo estímulo prazeroso, se não mais, do que somente a união física. E mais, Graham explica que uma pessoa precisa primeiro estar em contato com si mesma, conhecer seu próprio corpo intimamente, antes de conseguir ter mais atenção plena com o parceiro durante o sexo.

Faça as pazes com a sua aparência.

Convidamos também as consultores de relacionamento e influenciadoras Danny e Mara para nossa conversa sobre atenção plena, durante a atividade sexual. Em nossa conversa, elas indicaram a importância de sermos nós mesmos, independentemente das condições, e criarmos um espaço para nos valorizarmos. Elas afirmaram que o primeiro passo para nutrirmos intimidade e conforto com nossos parceiros, começa por nos conectarmos a nós mesmos. Nos aceitarmos sem a necessidade de validação, começa por convidar o auto amor e a linguagem do amor para entrar em nossa sexualidade. Estar em paz com a nossa aparência é fundamental para uma experiência sexual gratificante.

Como a meditação afeta o sexo?

Uma prática regular, intencional criará mudanças positivas em todas as áreas das nossas vidas, inclusive a sexual. Como diz a sexóloga Kumru, “Tudo o que acontece na vida de uma pessoa está conectado. Se você não consegue estar presente no trabalho, não consegue se concentrar, então as chances de estar pensando em trabalho quando está em casa com seu parceiro são grandes. A mente é uma coisa insaciável, pula de uma coisa para a outra, constantemente nos bombardeando e graças a tecnologia, mesmo quando estamos na cama, ainda sim podemos continuar distraídos.” A consciência vem diretamente com a meditação, bem como diminui nosso nível de estresse, uma percepção mais ampla e positiva de nossos corpos e níveis mais altos de concentração, tudo isso impactando positivamente nossas experiências sexuais. Kumru diz ainda que pesquisas mostram de maneira consistente que quando as pessoas são perguntadas sobre sua melhor experiência sexual, elas falam sobre momentos em que conseguiram estar presentes com seus parceiros.

Kumru também fala sobre algo que pode mudar a maneira pela qual pensamos em nossos relacionamentos: “não é que nossas relações ficam entediantes com o tempo, é que achamos que nossa vida sexual ficará sempre naquele nível de empolgação do início, mesmo que a vida esteja sempre mudando.” Graham adiciona: “práticas de atenção plena nos dá o presente de revelar o que estamos sentindo e do que estamos precisando. Essa atitude nos convida a sinceridade, habilidade de empatizar com nosso parceiro, o que nos permite criar memórias que lembraremos com um sorriso nos lábios.”

Dê a sua sexualidade a atenção que ela merece

Indicamos abaixo alguns sites de pessoas que falam sobre sexualidade, que é uma parte significativa das nossas vidas, e compõe a dinâmica dos nossos relacionamentos para que você possa se beneficiar do conhecimento desenvolvido por essas pessoas. Conecte sua individualidade com atenção plena.

Rayka Kumru: https://www.raykakumru.com/

Jessica Graham: http://yourwildawakening.com/

Danny & Mara: http://dannyandmara.com/

Deixe uma resposta