A Importância de Nossos Sentidos na Meditação

Se você já tentou meditar, mas acha difícil ficar parado e acalmar a mente, não desista ainda! Temos alguns conselhos que podem não apenas mudar seu conceito sobre a meditação, mas também ajudá-lo a colocar seu corpo e mente no estado correto antes de se sentar para praticar.

Primeiro, precisamos entender que quando meditamos estamos em um estado onde nos permitimos testemunhar nossos padrões de pensamento e gatilhos emocionais, com calma e à distância. Mesmo que nosso objetivo não seja esse, quando temos uma prática consistente de meditação, começamos a perceber cada vez melhor os nossos padrões mentais, e assim, podemos mudá-los.

A segunda consideração que podemos levar em conta antes de tentar meditar é com relação à nossa integração sensorial, ou seja, nosso sistema vestibular e propriocepção. Esses dois sentidos podem impactar muito nossa capacidade de meditar e se concentrar. Mas, antes de mergulharmos em como você pode administrar esses dois sentidos, vamos fazer uma rápida revisão do que eles são e de como se manifestam em nosso corpo.

A vida como os nossos sentidos veem.

Nosso sistema sensorial, que consiste em 8 sentidos, determina muitas de nossas escolhas no cotidiano. Todos os nossos sentidos têm suas necessidades específicas, e quando assumimos tarefas sem atender a essas necessidades, somos menos produtivos.  Por exemplo, nosso oitavo sentido, interocepção, nos faz sentir fome quando estamos com fome. Se fizermos uma prova enquanto estivermos com fome, correremos o risco de perder a concentração e tirar uma nota baixa. Esse mesmo sentido também é responsável por percebermos a necessidade e o desejo de ir ao banheiro. Se, por exemplo, entrarmos em a uma reunião sem  de irmos ao banheiro, para atender a essa necessidade, provavelmente teremos dificuldade de permanecer na reunião.

Agora, vejamos algumas coisas que costumamos fazer antes de nos sentarmos para meditar: se estivermos calor, vestimos uma roupa mais leve. Se estiver muito frio, vestimos um suéter. Se precisarmos ir ao banheiro, vamos. Se estivermos com fome, comemos alguma coisa. Fazemos tudo isso, e muito mais, para garantir que nada nos distraia. Esses exemplos estão todos relacionados ao nosso oitavo sentido, a interocepção. É graças a ele que sentimos frio ou calor. E com a ajuda de nossos outros sentidos, como visão, tato, paladar, olfato e audição, respondemos às várias necessidades que temos.

Existem ainda dois outros membros em nosso sistema sensorial e, quando eles não estão em equilíbrio, muitas coisas podem dar errado. Esses dois sentidos são nosso sistema vestibular e nossa propriocepção. O sistema vestibular tem a ver com a percepção de espaço, enquanto a propriocepção tem a ver com a percepção das partes de nosso corpo. Antes de meditar, podemos prestar atenção ao nosso sistema vestibular e propriocepção e verificar se esses sentidos precisam ser alimentados de alguma forma, assim como costumamos fazer com a interocepção e os demais sentidos. Isso nos proporcionará mais conforto quando sentarmos para meditar.

Por que é importante pacificar nossos sentidos antes de meditar?

O que nosso sistema vestibular e de propriocepção precisam é de movimento. Mas ir e voltar até o banheiro, o guarda-roupa ou a cozinha não significa muito para esses sentidos. O que eles precisam não é de movimentos aleatórios. Precisamos levar em conta a dinâmica desses dois sentidos.

Já dissemos que o sistema vestibular tem a ver com nossa percepção espacial. Os tipos de movimento que alimentam esse sentido são balançar, pular e girar. Todo mundo tem suas próprias preferências quando se trata disso. Alguns de nós gostam de girar, outros preferem pular. Voltando aos jogos que você costumava jogar quando criança: você preferia pular corda ou girar? Aquilo que você preferia era geralmente o que regulava seu sistema vestibular. Regular o sistema vestibular ajuda você a se concentrar. Você sabia, por exemplo, que estimular o sistema vestibular das crianças durante os intervalos das aulas ajuda no sucesso acadêmico delas?

Propriocepção é entender como o nosso corpo está posicionado, usando as informações transmitidas ao nosso cérebro pelos nossos músculos e articulações. Esse sentido é alimentado através de sensações como pressão, empurrar e puxar. Atividades como levantar pesos, nadar e jogar vôlei são, portanto, excelentes maneiras de alimentar nossa propriocepção. As crianças que têm problemas com propriocepção costumam ser encaminhadas a atividades que alimentam esse sentido, e seu desenvolvimento após o estimularem é verdadeiramente notável.

Por que não se mexer um pouquinho antes de meditar?

Mesmo quando envelhecemos, nossos sentidos ainda precisam ser continuamente alimentados. No entanto, tendemos a nos dar menos permissão para satisfazer essas necessidades com o movimento.

Uma das maneiras de reavivar esses sentidos é fazendo algum tipo de exercício antes de meditar. Não há regras para isso. Você só precisa se dar espaço e permissão para fazer alguma atividade física, mas com autocompaixão. Estimular seus sentidos proprioceptivos não significa fazer exercícios exaustivos. Nas próximas semanas, antes de meditar, que tal fazer alguma das atividades abaixo e ver qual delas tem o melhor impacto em sua prática?

·     Se puder, faça uma pequena caminhada. Por mais simples que seja, caminhar é um exercício recomendado pela maioria dos médicos. Então, dê um passeio antes de meditar. Esse é um tipo de exercício em que podemos facilmente nos engajar.

·     Yoga é um excelente exercício para fazer antes de meditar e está interligado com muitos dos princípios da meditação.

·     Alongue-se por 10-15 minutos. Estique os braços, peito, panturrilhas, abdômen, parte inferior das costas e pernas devagar e conscientemente. Pause a cada alongamento, por 10 ou mais segundos, e realmente sinta os músculos se alongando e  aquecendo.

·     Dance! Se você gosta de dançar, ouça algumas músicas e dance por 5-10 minutos. Dançar não apenas libera endorfinas por todo o corpo como também aquece seus músculos e desperta seus sentidos antes da meditação!

Uma vez que seus sentidos estiverem satisfeitos, você pode relaxar e se entregar àquela calma e tranquilidade que sua mente precisa.

Se você nunca tentou se exercitar antes de meditar, experimente estas sugestões! E não esqueça de compartilhar sua experiência conosco!

Deixe uma resposta