Você já percebeu que está de luto?

O que você está sentindo?

Nesse novo e inesperado momento global – onde tudo está mudando rapidamente e que nossas vidas foram subitamente alteradas – você já parou para se perguntar como está se sentindo? Ou só continuou tentando seguir com sua rotina? Muitas vezes ignorar nossas emoções pode parecer mais fácil do que encará-las. Dito isso, mais cedo ou mais tarde nossas emoções exigirão serem vistas, ouvidas e expressadas. Quando as ignoramos, elas podem até mudar para chamar nossa atenção, se tornando física e mentalmente incômodas. Essas emoções, que são ignoradas, podem acabar aparecendo como sentimentos que parecem não fazer muito sentido, como ansiedade, agitação ou desconforto. Ou podem se manifestar também fisicamente como dores localizadas e insonia. Outra maneira pela qual elas aparecem é em nossas relações, com a gente mesmo, com os outros, com a comida ou com o trabalho. É exatamente por essa razão que abrir espaço para nossas emoções é tão importante para nosso bem estar e para levar uma vida equilibrada.

Você já conseguiu dar sentido ao que está vivendo durante essa pandemia? O que aconteceu até agora e o que mudou para você? Nesse momento, quais emoções estão surgindo por conta dessa situação. Do que mais você sente falta? Por exemplo, talvez você sinta falta de estar fora de casa resolvendo coisas. Talvez você esteja triste por não poder ver amigos e família. Se você mora com outras pessoas, talvez esteja se sentindo incomodado por nunca ter um tempo para estar só. E se você mora sozinha, talvez esteja sentindo isolada e com solidão. Não saber por quanto tempo esse período durará pode piorar a situação. Não importa como você esteja se sentindo, é totalmente normal e compreensível, cada um está lidando da melhor maneira que pode. Mas se ao invés de ignorar esses sentimentos nós os observarmos, mais fácil será de entender quais são as nossas necessidades. E uma vez que nos tornamos conscientes dessas necessidades, mais fácil será de lidar e processar esse novo “normal”.

Suas perdas e luto

Raiva, preocupação, medo, confusão e exaustão. Calma, esperança e felicidade. Essas são emoções que provavelmente todos nós estamos sentindo durante essa pandemia. Certamente estamos familiarizados com a maioria dessas emoções, mas há uma outra que é possível que também estejamos experimentando: luto. Nesses dias, talvez você esteja em luto pelas coisas que perdeu de maneira tão súbita. Talvez você tenha perdido alguém querido, ou alguém próximo a você esteja doente. Se você está passando por alguma dessas situações e está com dificuldade de lidar com elas pode procurar ajuda profissional pode te ajudar.

Muitos de nós, ainda bem, não perdeu ninguém próximo e ainda assim essa pandemia está nos fazendo experimentar sentimentos de perda e luto de maneiras mais abstratas. Essa experiência de perda é desorientadora e dolorosa de maneiras muito únicas. Por exemplo, você pode ter perdido seu senso de segurança ou controle da sua própria vida. Você pode estar sentindo falta de seus hábitos, rotinas, da proximidade com entes queridos e com seu trabalho. Do que você teve que abrir mão nesse período? O que subitamente foi tirado de você? Que tipos de coisas você não pode fazer por enquanto e que te faziam sentir bem? Quais sensações sumiram junto com sua perda de rotina? Felicidade? Sentir-se amada? Confiança? Calma? Tranquilidade? Alegria? Fazer luto por esses estados mentais e sensações é muito normal. Tente colocar nome nessas emoções e abrir espaço para eles.

Além de todas as sensações que falamos e das atividade que você está perdendo, essa pandemia provavelmente também interrompeu seus planos e isso pode ser complicado. Talvez você estivesse sonhando com coisas novas para os próximos meses ou talvez você tivesse planos que não acontecerão mais conforme você havia planejado. Todas essas situações podem nos causar tristeza ou frustração. E enquanto muitos de nós possa encarar todas essas mudanças como triviais, tentar se convencer de que tudo isso que está acontecendo não te abala, pode te fazer sentir ainda pior com o tempo. Ao invés disso, você pode pensar nessas mudanças de planos e na incerteza do futuro em geral como uma outra forma de perda e tentar lidar com ela. Escrever ou falar sobre o assunto com pessoas próximas é uma ótima maneira de expressar nossas sensações de perda.

O que você pode fazer para lidar com o luto?

Observar o luto e dar espaço para ele é o primeiro passo para a cura. Até porque quando ignoramos nosso luto e nossas perdas, isso pode afetar nosso bem estar, relacionamentos e corpos. Aqui vamos dar algumas sugestões para nos ajudar a ficarmos mais conscientes dos nossos sentimentos.

Reserve um tempo para você. Para evitar que o luto domine sua vida enquanto dá espaço para processá-lo, reserve um tempo para sentir o que está te fazendo falta, o que você está desejando ou lamentando. Durante esse tempo, sinta-se livre para pensar, sonhar, olhe para fotos antigas, reveja planos que tenham sido cancelados ou tenham ficado pendentes e se precisar chorar, chore. Ainda que encarar esses sentimentos durante um tempo reservado possa parecer difícil, isso pode te ajudar a se sentir mais leve e menos estressado pelo resto dia. E mais importante, você estará criando um espaço para sua cura, através da observação e com carinho pelas suas emoções.

Preste atenção nas suas necessidades. Saber que outras pessoas também estão passando pelas mesmas coisas pode aliviar seus sentimentos de estresse e dor. No entanto, não devemos esquecer que cada pessoa tem sua própria maneira de lidar com o luto. Ao invés de focar em como os outros estão passando por esse momento de pandemia, nós devemos nos lembrar que cada um experimenta as coisas da sua própria maneira. Cada um tem sua personalidade, histórias de vida, necessidades e reações. Ainda que todos nós estejamos passando pela mesma situação, é importante se perguntar: “Como EU estou me sentindo e do que EU estou precisando? Não esqueça que você não tem que pensar positivo e ser forte o tempo todo. Tente escrever sobre os seus sentimentos e necessidades, ou compartilhá-las com alguém que você confia. Se você está preocupado, tente fazer uma lista dessas preocupações e colocá-los em grupos. Depois reflita sobre o que essa emoções que você está sentindo agora significam para você. Por exemplo, preocupações muitas vezes estão ligadas a nossa necessidade de segurança e controle. Então se essa é a emoção que você está sentindo, fazer atividades que você pode controlar, que você precisa estar mentalmente presente, podem te ajudar a se sentir melhor.

Criar uma nova rotina. Você teve que abrir mão de algumas atividades da sua rotina, que eram importantes para você? Muitos de nós precisou fazer mudanças em nossas vidas diárias que são impossíveis de seguir fazendo nesse momento. Rituais como ir para a academia antes do trabalho, almoçar ou tomar um café com amigas uma vez por semana. Mas e se você criasse novas rotinas para tornar sua vida de agora mais agradável? Por exemplo, você pode criar um novo ritual de tomar café com amigos por uma chamada de vídeo. Ou ao invés de ir para a academia antes do trabalho, você pode se exercitar em casa assim que acordar. Essa nova rotina pode envolver um hobby que você queria começar, ou uma língua que queria aprender. Pense em planejar novas rotinas para enriquecer sua vida e chegar mais perto dos seus sonhos.

Explore a alegria. Ainda que essa fase tenha te tirado alguma das coisas que você ama, pense que esse novo ritmo também possa abrir espaço para novas oportunidades. Quais são as emoções, memórias e experiência que você pode criar e compartilhar e que sejam especiais e únicas nesse momento? Agora mesmo, ao redor do mundo, todos estão passando pelo mesmo processo de medo e preocupação. Talvez a quietude das ruas te permitiu ouvir os sons do seu bairro, da sua casa que talvez você nunca tenha notado. Talvez você possa aproveitar o tempo que gastaria indo para o trabalho para dormir um pouco mais, fazer um café da manhã gostoso ou meditar. Talvez você esteja passando mais tempo com seu filho, parceiro ou família. Pela primeira vez em muitos anos, alguns de nós está experimentando estar junto o dia inteiro, dia após dia. Ou talvez esse seja o momento perfeito para prestar atenção e notar quais as lições que a solidão pode nos trazer. Você pode aproveitar esse tempo para refletir e olhar para sua casa, seu cantinho de uma forma diferente, com um novo olhar. A questão é que ainda que esse seja um momento desafiador, encontrar espaço para vivenciar alegrias é mais importante do que nunca. Se você puder, pare um momento e escreva uma lista das coisas que você descobriu e que foram positivas nesse período.

Crie um espaço de paz. Imagine um cantinho relaxante e tranquilo que só tem as coisas que você gosta e que te fazem sentir bem. Música, velas, escrever, fazer yoga, falar com amigos, meditar, jogar um jogo, estar só, ler um livro, começar ou continuar sua terapia… esse espaço pode incluir tudo isso e mais ainda o que você puder imaginar. Durante esse período, tente abrir espaço para sua nova rotina, com atividades que podem te ajudar a se conectar consigo mesma. Para te ajudar a colocar esse plano em ação, sempre que você estiver planejando seu dia, tenha certeza de reservar esse tempo para você, nem que sejam só 5 minutinhos.

Medite. A prática da meditação nos dá a oportunidade de observar nossos sentimentos, além de trazer uma sensação de mais controle sobre as nossas emoções. Quando tiramos nossa mente do piloto automático, é mais fácil identificar as sensações de luto que você pode estar sentindo e dar espaço para elas. Quando você tem dificuldade de manter o foco e parece que tudo é grande demais para suportar, você pode dar um descanso para a sua mente através da meditação. Se a sua mente está perdida em perguntas, medos e incertezas em relação ao futuro, a meditação pode te ajudar a relaxar a mente e se reconectar com o momento presente. Através da prática você pode experimentar emoções como compaixão e aceitação, ambas te ajudarão a diminuir a ansiedade, e te manter no momento presente, sem precisar fugir dos sentimentos ou ignorá-los.

Especialmente nesse momento, observar nossos sentimentos, identificar nossas emoções e expressá-las nos ajuda a sentir melhor. Podemos usar essas informações para priorizar e guiar nossas escolhas e rotina. Muitos de nós não está acostumado a ter essa sensação de perda da maneira pela qual estamos todos sentindo agora. Mas quando se trata de uma situação específica, prestar atenção a esses sentimentos pode ser o primeiro passo no caminho da cura.

Deixe uma resposta